domingo, 2 de dezembro de 2012

Capítulo 11: "Estou Apaixonada Por Ti"

Eu chorava enquanto dizia aquelas palavras, magoava-me dizê-lo em voz alta mas esta ideia percorria a minha cabeça e o meu coração, por muito que me quisesse iludir eu não queria ser mais uma conquista na vida do Ezequiel, magoava-me e a expulsar tudo cá para fora talvez me sentisse mais leve, e foi o que aconteceu… O meu coração estava mais apertado que uma formiga depois de ser pisada por um elefante e a minha garganta estava mais apertada que uma pessoa com amigdalites, e depois de deitar as primeiras lágrimas senti-me mais “leve”, eu não entendia o porquê de ele me estar a afetar deste modo, o porquê de algumas atitudes quando estava com ele, o porquê de ele ter aparecido nesta altura da minha vida, eu não queria… Não queria! Não estava nos meus planos sentir isto e pior que isso, eu acho que me estou a apaixonar! Prometi a mim mesma que isto não me voltava a acontecer, eu não queria voltar a sofrer, não queria ter de chorar e prometi que não o voltaria a fazer por homem algum, não queria ter de entrar numa relação e mais tarde ter de lidar com o fim da relação e esquecer um homem que me preencheu o coração, prometi que o amor é louco e eu já era suficientemente louca na minha vida e não precisava de viver mais nada. Porquê Ezequiel porque é que apareceste na minha vida? Porquê agora? Eu disse e prometi que não voltava a dizer “amo-te” porque sofri tanto a última vez que o disse, eu não precisava de um homem na minha vida. Depois de minutos em silêncio, ele senta-se ao meu lado e acompanha o meu choro, depois de mais alguns minutos a chorar ele fala:

-Qeu ouve-me.- Sentou-se ao meu lado e colocou o braço por cima dos meus ombros e disse- Podem demonstrar uma imagem de mim que está muito longe da realidade e acredita que neste caso é bem real, recebi uma educação muito boa e ensinaram-me a ter muito respeito pela mulher e como gosto de ti e muito seria incapaz de te trair ou te magoar. E esperava que ao final deste tempo juntos já te tivesse provado que eu não sou esse tipo de pessoa. Não posso fazer mais nada, vou deixar que entendas por ti mesma visto que as minhas palavras não te servem de nada. – Levantou-se e senti-o cada vez mais longe, levanto-me e limpo as minhas lágrimas, vou atrás dele, agarro-o por um braço, ele volta-se para trás e eu digo:

- Desculpa Ezequiel, desculpa pelas minhas atitudes, desculpa pelas minhas dúvidas, desculpa pelo que acho de ti, desculpa mas eu não sou capaz de amar loucamente… Não outra vez!-senti novamente os olhos húmidos e ele abraça-me e diz-me:

-Podes contar comigo para o que quiseres!-pega-me ao colo e senta-se no chão, depois coloca-me no seu colo e dá-me permissão para falar e eu respondo:

-É tão difícil Ezequiel. Custa-me tanto tudo isto, custa-me pensar em viver um novo amor, custa-me pensar em apaixonar-me e custa-me dizer “amo-te”, eu prometi que não me voltava a apaixonar, prometi que não me voltava a pôr numa relação séria, prometi que não choraria mais por um rapaz e prometi que não sofria e entregava o meu coração a ninguém. Talvez não esteja preparada para amar e para ter uma relação séria, para receber um homem na minha vida e a sofrer, é tudo tão complicado e foge tanto ao que sempre sonhei.- Ele abraçou-me e eu senti-me melhor, ele limpou as últimas lágrimas que me corriam no rosto, as lágrimas teimosas e eu senti-me melhor, inspirou bem fundo o que me deu ainda mais calma, agarrou na minha mão e encostou-me no seu ombro enquanto olhávamos para o mar, depois de segundos a aproveitar-mos tudo isso ele diz:

-Eu vou estar a teu lado porque gosto de ti e muito e vou ajudar-te a ultrapassar todas essas barreiras, a venceres todos esses monstros que te invadem a cabeça e o coração, vamos dar tempo para nos conhecermos melhor, vamos dar tempo até descobrires o que sentes, vamos dar tempo até te sentires preparada para termos uma relação séria e mais tarde, sem pressão dizeres amo-te. Eu vou esperar por ti, e nunca, nunca te vou magoar!-sorri assim que ele disse isto e beijo-o, um beijo muito intenso, não foi um beijo como os outros que demos, foi um beijo de paixão, foi um beijo de amor, foi sentido, trazia emoções, trazia sentimentos e foi quase um “obrigada” que lhe disse. Depois disto começamos a namorar e a aproveitar o dia, a aproveitar os nossos momentos e falamos, esclarecemos tudo, não éramos namorados mas beijávamos nos e tínhamos os nossos momentos românticos, não estaríamos com mais ninguém e prometemos pelo mindinho (como daquelas promessas que se fazem na primária).

http://2.bp.blogspot.com/-oLsqlM7snfs/UKU-94GVd6I/AAAAAAAAAF8/h_cFG4MJZN8/s320/9232564_bzd4N.jpeg

Falamos muito e desabafamos muito mesmo, depois acabamos por ir comer ao bar da praia, onde almoçamos e eu decidi assumir o que sentia por ele, estávamos em silêncio e era a melhor altura para assumir o que sentia e ele me prestar o máximo de atenção possível:

-Acho que já tenho confiança para assumi-lo: estou apaixonada por ti!-Ele cruzou os talheres e levantou-se da mesa e eu levantei-me também, beijou-me e agarrou-me pelo rabo e sentou-me na mesa e começamos a beijar-nos com desejo e depois ele respondeu.

Qual será a resposta de Garay?
Será que juntos vão conseguir ultrapassar os medos de Qeu? Será que ele também estará apaixonado?


3 comentários:

  1. Olá D:
    Gostei muito!
    Quero mais ;)
    Beijinhos
    Ritááá xD

    ResponderEliminar
  2. Olá :)

    Obrigada pelo apoio é bastante importante!
    Não te preocupes que vamos tentar publicar em breve.

    Beijinhos, Rita

    ResponderEliminar
  3. Olá, Olá!
    Aqui estou eu viciada a ler esta maravilhosa fic :)
    Finalmente a Que admitiu o que sente! Eles são taão fofinhos...
    Beijinhos
    Didi Martins

    ResponderEliminar